O Cachorro Bull Terrier

O surgimento do maravilhoso Bull Terrier na História

racas-de-caes, caes, animais-de-estimacao -  - O Cachorro Bull Terrier

A motivação da concepção do Bull Terrier nos anos 1800 não é completamente coerente com o Bull Terrier moderno. O Bull Terrier tem origem em cães tipo Bull e Terrier, criados como cachorros caçadores e briga, atividades abolidas na Grã-Bretanha naquela época. A sua origem está ligada a um homem intitulado James Hinks, da cidade de Birmingham (Inglaterra), que, depois de muitos anos de experiências, apresentou a raça no início da década de 50.
Com o intuito de se buscar um notável cão para combates, ficou decidido naquele tempo mesclar com o Dálmata, então criou-se o Bull Terrier recente. A disputa entre cachorros e, também, entre cães e touros, era bem normal nas terras inglesas de antigamente, ainda mesmo após a sua interdição neste país.
É fundamental compreender a proveniência do Bull Terrier que conhecemos nos dias de hoje, porque, além dele ser uma combinação de três espécies (Dálmatas, Bulldogs e English White Terriers), na realidade ele é sucessor dos molossos. Esses eram muito usados para lutar contra animais com um porte físico bastante superior que o seu.
O fundamental objetivo era se gerar um verdadeiro cão para combates, embora, com as inúmeras fusões que foram geradas com o passar dos anos, deu-se origem ao que observamos hoje do Bull Terrier.

Particulariedades do Bull Terrier

A disciplina é uma coisa presente nestes bichos, eles são incrivelmente obedientes. Ele é muito astuto, muito resistente e com suas dimensões bem proporcionais. Sua cabeça é longa, robusta e grande até o final da trufa, a superfície é livre de buracos ou contornos e o maxilar é profundo e resistente. Tem um olhar enfeitiçante, portando-os muito pequenos e uma coloração castanha. As suas orelhas são empinadas, relativamente estreitas e próximas entre cada uma.
O tronco do Bull Terrier é muito redondo, com evidente dobramento das costelas e enorme profundidade da cernelha ao esterno, fazendo com que esse encontre-se bem perto do solo. A cauda da raça usualmente não é pequena, de implantação não muito elevada.
Sua pelagem é bastante estreita, espessa e inflexível sempre que acariciada. O Bull Terrier mais conhecido é branco, totalmente ou com algumas marcas pigmentadas. E há o Bull Terrier inteiramente colorido, com ínfimas partes esbranquiçadas.

Como tomar conta de um Bull Terrier

Você necessita de distraí-lo com atividades físicas que instiguem sua inteligência. Deixe o espécime em um lugar assegurado, apesar de que ele ama se movimentar muito. O adequado é que você possua um quintal em que consiga deixá-lo, embora jamais o deixe em locais completamente sem proteção.
Atividades físicas e mentais são vitais a fim de ter equilíbrio e paz entre o espécime e as pessoas ao seu redor, mesmo que as várias mutações acontecidas com a raça desde o seu começo tornaram o Bull Terrier mais dócil, afetuoso e manso. Mas, sua procedência continua sendo a de um espécime de luta e, em razão disso, ele tem necessidade de gastar energia de forma incessante, dando vazão a força contida que pode deixá-lo bastante nervoso defronte a certa tensão.
Caso você more em prédios ou lugares demasiadamente pequenos, nem pondere possuir um Bull Terrier, eles necessitam de grandes espaços. Para esta espécie que carece de consumir muita energia, um local maior é o recomendado, embora haja pessoas que têm esse animal mesmo habitando em pequenas residências. Se esse for o seu empecilho, entenda que você tem que fazer com que ele pratique várias atividades com o objetivo de evitar contratempos futuros.
Os cuidados com os pelos são pequenos.

Benefícios de ter um cão Bull Terrier

O Bull Terrier não é um cão para todo mundo, mas aqueles que pegam um Bull Terrier se verão agraciados por causa dos traços positivos desta raça. Seu gênio é marcante. Este espécime vai acompanhá-lo até o último dia de sua existência, sendo muito leal a você e seus familiares. O Bull Terrrier nos distrai enquanto sonda ao redor com o ânimo de uma criança e a aplicação persistente de um policial.
No momento em que apresentam ao Bull Terrier uma peça qualquer (podendo ser um bichinho de mentira, uma bola para jogar tênis, qualquer coisa), ele vai fiscalizar, atender seus desejos, vai brincar com ele e, logo, começará a comer e destruir seu brinquedo. Sem utensílios para distrair-se, o Bull Terrier é, sem dúvida, inovador o suficiente para se conservar ativo. Essa espécie, exatamente como as outras, adora estar fazendo algo a toda hora, especialmente entreter-se.

Problemas mais comuns do Bull Terrier

Mesmo que seja, no geral, uma espécie bastante sadia, enfermidades relacionadas a hérnias e à pele são capazes de acontecer nos cachorros da raça, que inclusive inclinam-se a ser lesados por distúrbios de acne e até acrodermatite, uma séria enfermidade que alcança os cães inclusive bebês e causa desde pelos enfraquecidos até a dessecação dos coxins e feridas nas mais diversas regiões do corpo do cão.
Eles são tendentes a se tornarem surdos, em um ou todos os ouvidos. Acreditava-se que esse distúrbio era relacionado à cor esbranquiçada do cão, daí terem sido gerados cães mais coloridos.
O Bull Terrier é para aqueles que admiram cães que aprendem sozinhos, entretanto não para aqueles que pretendem possuir um amigo dócil. Esta é uma raça de personalidade inabalável, que dá a sensação de interpelar as ordens que recebe e, devido a isso, não recomenda-se que obtenha um proprietário inexperiente, entretanto sim, um que possua domínio sobre o cachorro.
O treino do Bull Terrier é mais demorado se comparado às demais espécies porque esse cachorro tem a tendência de negar-se ao treino. Ele não é hostil com indivíduos estranhos, todavia, se você deseja que ele inclusive seja alegre, então é muito melhor familiarizá-lo desde pequeno com pessoas que nunca viu.

Crias de Bull Terrier

racas-de-caes, caes, animais-de-estimacao -  - O Cachorro Bull Terrier

Esses cachorros, quando bebêzinhos, podem ser bastante arteiros e bagunçar tudo o que está a sua volta. Eles, tal como os mais crescidos, necessitam gastar bastante energia a fim de não ficarem demasiadamente irrequietos. Eles ainda tem de ser acompanhados todo dia. Deixá-los sozinhos tem chance de ocasionar bastante arrependimento mais tarde.
A pelagem deste cão é muito pequena e não carece de cuidados extremos. Caso você resida em um apartamento, medite bem: uma vez que será fundamental auxiliá-lo a esgotar a energia de muitas maneiras.
O nível de agressividade e de carinho de um cachorro está intimamente relacionado com o modelo de ensino e cuidado que ele obtem por parte de seus familiares e, assim, o Bull Terrier que ganhar muito carinho e memorizar ordens de adestramento e disciplina desde pequeno esporadicamente irá ser um cão agitado.
Os Bull Terrier são muito vigorosos, fazendo que, no momento em que irritados, são capazes de produzir sérios problemas para quem está à sua frente. Por causa disso o carinho é extremamente essencial. Esse cão não é violento, entretanto, se provocado para um ato deste, pode ser contrastado a um Pitbull zangado.

Fatos interessantes sobre o Bull Terrier

Você possuirá vários motivos para alegrar-se deste cão. Um tanto exibicionista, não se surpreenda se observar seu Bull Terrier disparando para frente e para trás pelos quatro cantos da casa, pulando e atacando objetos sem vida apenas para chamar sua atenção e revelar como é musculoso. Se você tiver muita energia, poderá distrair-se com ele por um longo tempo.
Caso ele não possa chamar a sua atenção, esteja preparado. Ele vai obter um jeito de chamar a sua atenção. Eles vão reclamar, resmungarão e irão balbuciar para divertí-lo. Sem embaralhar isto com roncos (que ele emitirá na ocasião em que for preciso), seu Bull Terrrier vai tentar falar. Logo que conseguir algum tipo de retorno, usará seu aparente amplo dicionário de forma constante.
Seu dono irá agradar-se com isto, apesar que para muitos isto possa parecer esquisito. Os Bull Terriers adoram achar qualquer perfil de arbusto ou uma pequena parte de relva com o intuito de se ajeitar, ao observarem-nas eles não hesitarão em se deitar por baixo delas.
Percebendo mais de perto poderá observar o cão com um olhar voado, tal como se estivesse em transe, à medida que a ventania sopra calmamente sobre os arbustos e lhe acaricia as costas. Logo depois, sem qualquer razão visível, o cachorro vai sair dali, saltará se arrumando de seu esconderijo e prosseguirá andando. Vários proprietários já notaram isto ocorrer dentro da habitação também, quando colocam a árvore de natal e inclusive não foi achada nem uma elucidação lógica para esse comportamento.